Terça, 07 de Julho de 2020
92 99494-2851
Política Política

Prefeito de Manaus afirma que vai garantir salários em dia para servidores

O anúncio foi feito durante uma coletiva on-line com a imprensa.

02/06/2020 17h23
Por: Redação1
Prefeito de Manaus afirma que vai garantir salários em dia para servidores

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, anunciou a antecipação da primeira parcela do 13º salário aos servidores municipais de áreas não essenciais para o dia 15/6. Cinco categorias que atuam diretamente no enfrentamento ao novo coronavirus na capital já receberam o pagamento do décimo no mês de maio, além de idosos e pensionistas que foram pagos ainda em março. O anúncio foi feito durante uma coletiva on-line com a imprensa, nesta segunda-feira, 1/6, onde também foi detalhada a reforma administrativa da Prefeitura de Manaus, que pode resultar em cortes de até R$ 500 milhões no orçamento municipal, para fazer frente aos efeitos econômicos da pandemia.

“Nós já havíamos antecipado o décimo terceiro de algumas secretarias e graças ao bom trabalho de ajuste fiscal, mesmo com a crise que surgiu, temos dinheiro em caixa para pagar pessoal, garantindo seus benefícios sem nenhum atraso, pelo contrário, até antecipando. As demais categorias recebem a primeira parcela do 13° agora dia 15 de junho e o salário do final do mês permanece na mesma data. Sinto-me muito honrado em poder pagar em dia quem trabalha de forma correta durante todo o mês”, disse o prefeito Arthur.

Em março, aposentados e pensionistas municipais tiveram a primeira parcela do 13º salário antecipada, aproximadamente, R$ 12,6 milhões. A medida foi tomada para garantir os cuidados necessários aos que estariam no grupo de risco da Covid-19. Em maio, foram pagos outros R$ 23 milhões para as secretarias municipais de Saúde (Semsa), da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), Limpeza Urbana (Semulsp), de Comunicação (Semcom) e Casa Militar.

Ao todo, com o pagamento do benefício, a Prefeitura de Manaus injeta na economia local em torno de R$ 83,4 milhões. Dinheiro importante para movimentar o comércio local, que começou a ser reaberto gradualmente.

Sobre as medidas adotadas para encarar uma queda na arrecadação do município de, aproximadamente, 30% a 40%, o prefeito ressaltou a extinção de três secretarias, redução de 110 cargos comissionados, extinção e renegociação de contratos de aluguéis e novas repactuações de contratos com fornecedores, além de uma nova rodada de redução de custeio.

“Manaus tem que caber no que arrecadar, seja qual for a queda na arrecadação. Estamos fazendo o possível para economizar e não perder o controle. Ao final da gestão quero poder entregar uma prefeitura com saúde financeira”, disse Arthur Virgílio, destacando que algumas secretarias podem trabalhar em home office até o final do ano, mesmo quando acabar o decreto nº 4.836/2020, que estende o teletrabalho dos serviços municipais até o dia 30 de junho. “Com isso poderemos reduzir em até 30% os gastos com as contas públicas, como energia, água, telefone e aluguéis”, explicou.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Anúncio